Qual tamanho da prótese de silicone escolher? Silicone grande ainda está na moda? As mulheres ainda preferem os peitões turbinados ou os seios mais naturais são a bola da vez? Quem colocou silicone em décadas passadas jamais imaginaria que, nos dias de hoje, essas perguntas estariam em discussão. Silicone bom era silicone grande e o objetivo era realmente dar uma boa turbinada nos seios. Mas, como tudo muda, os ideais de seios perfeitos agora são outros! Frequentemente, lemos notícias de famosas que decidiram reduzir o tamanho dos peitos e optar por próteses mais naturais. Vitória Beckham, Xuxa, Anita e até a própria Pâmela Anderson, que nos anos 90 exibia seios super turbinados na serie S.O.S Malibu, optaram por próteses menores com aparência mais natural.

sutian-vitoria-secrets-pinterest
Foto: Pinterest

A primeira prótese de silicone foi implantada há 55 anos, nos Estados Unidos. De lá pra cá, as cirurgias plásticas envolvendo as mamas tornaram-se obsessão de mulheres do mundo todo. Em 2015, foram realizadas 2.577.810 cirurgias, segundo última pesquisa da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (Isaps), divulgada em 2016. Só no Brasil foram 358.655 mil cirurgias plásticas de mamas. A pesquisa mostrou ainda que desse total de cirurgias realizadas no Brasil, cerca de 72.600 foram para redução do tamanho dos seios.

Foto: Fotolia
Foto: Fotolia

Segundo o Dr. David Di Sessa, cirurgião plástico de São Paulo e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, o movimento de seu consultório confirma os dados da pesquisa. “Nós percebemos um aumento na procura para realizar a redução das próteses mamárias no último ano. Cerca de 15% das pacientes me procuraram para diminuir o tamanho de suas próteses de silicone”, diz o cirurgião. O motivo dessa procura é a busca por um resultado mais natural, corroborada com as ultimas informações apresentadas nos congressos. “As mulheres estão buscando resultados mais naturais, que não modifiquem extremamente seu corpo e sim que as deixem mais confiantes, exaltando a beleza que já possuem”, afirma Dr. Di Sessa. O procedimento de diminuição muitas vezes acaba deixando uma sobra de pele e, por isso, é necessário uma Mastopexia seguida de troca de próteses. “Essa cirurgia remove o excesso de pele e reposiciona o tecido mamário junto com a aréola, é uma espécie de lifting. Em seguida realizamos a troca da prótese por uma menor”, explica Dr. Di Sessa. A recuperação dessa cirurgia é mais lenta em comparação com outras cirurgias de implante de silicone, pois requer mais cuidados e repousou de 20 dias.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Se você já usa silicone, antes de sair correndo para trocar o tamanho, precisa ter em mente que: se está feliz com o tamanho dos seus seios e se a saúde das mamas está bem, não faz sentido mudar apenas para seguir tendências. Porém, se o tamanho das mamas tem te incomodado, causando dores nas costas e desconforto, pode ser a hora de consultar um médico de confiança, para saber qual a melhor opção para você. Para as pacientes que desejam se submeter a essa troca, Dr. Di Sessa conta que é essencial a​ realização de exames de imagem para checar a posição e estado das próteses que serão trocadas. “E a cicatriz é bem discreta”, completa.

Comentário

Comentário(s)

Deixe uma resposta

Você deve estar logado para postar um comentário.